Entre 14 de maio e 30 de novembro de 2014 a EKMAN coordenou o Monitoramento Acústico Passivo na Bacia de Espirito Santos. Neste período foram realizadas 178 detecções. Os meses de agosto e outubro apresentaram o maior número de detecções, coincidindo com o período das baleias jubartes no litoral do Brasil.
Durante o período de monitoramento acústico passivo foram detectadas vocalizações de odontocetos e de baleias-jubarte (Megaptera novaeangliae). As emissões sonoras de odontocetos se dividem em assobios (Figura 1) e sons pulsantes (Figura 2).
A maior parte dos registros foram de baleia jubarte (118 detecções), seguido pela família Delphinidae.
A maioria dos cetáceos (baleias, golfinhos, orcas, cachalotes) produzem sons regularmente, fazendo com que o uso de hidrofones (microfones submarinos) detecte e monitore a presença de mamíferos marinhos através do som que eles emitem, ou seja, suas “vocalizações” (monitoramento acústico passivo).

Assobio emitido por delfinídeos durante a operação Figura 1. Assobio emitido por delfinídeos durante a operação

Trem de cliques de ecolocalização, tipo de som pulsante, emitido por delfinídeos Figura 2: Trem de cliques de ecolocalização, tipo de som pulsante, emitido por delfinídeos

Emissões de baleias-jubarte apresentam um repertório variado, formado predominantemente por sons entre 20 Hz e 2 kHz (Figura 3)

Sons emitidos por um grupo de baleias jubartes Figura 3: Sons emitidos por um grupo de baleias jubartes

As emissões acústicas de jubartes e das espécies de delfinídeos identificadas e analisadas foram utilizadas para elaborar um banco de dados para auxiliar na identificação de espécies

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *